Reserva no Amazonas zera desmatamento

A RDS ( Reserva de Desenvolvimento Sustentável site) do Juma que fica a beira das margens da BR-319, localizada no Amazonas, pode ser considerada uma reserva modelo para o país e também para todo o mundo.

Além de conseguir zerar o desmatamento, seu projeto que foi desenvolvido na área vem promovido uma grande geração de renda e também a defesa da floresta por toda a comunidade local.

Sendo vista em contramão de espalhar o desmatamento, a reserva consegue vir registrando nos últimos anos uma grande redução na taxa de desmatamento. Contendo sempre dados atualizados no governo federal é possível ver que desde 2015 não se tem registro de devastação.

A redução que se consegue ser atribuída à implementação na área que foi feita em 2008, consegue ter uma excelente taxa de redução de emissão de gases de efeito estufa que são provenientes de toda essa devastação desenfreada que vinha acontecendo durante muito tempo.

Nesse mesmo ano foi implantada uma inciativa que foi idealizada pela ONG de Fundação Amazonas Sustentável, sendo a primeira no país e também no continente americano que recebeu um certificado internacional por ter o desmatamento evitado durante todo esse tempo de trabalha árduo. Obrigado por ler o artigo do nosso site até aqui.

No dia 05 de setembro é comemorado o Dia da Amazônia, foi comentado sobre o que foi desenvolvido em vários estudos. Foi constatado também que se nada fosse feito no período de 2008 até 2050, que é o nosso cenário, seriam devastados mais de 65% da área e isso geraria a emissão de 189 milhões de toneladas de dióxido de carbono.

Esse desenho foi feito com base em três eixos para conseguir tratas os vetores do desmatamento, primeiro um investimento estruturante em geração de toda a renda, além de programas comunitários e a geração de novos empregos.

Já o segundo investimento foi criado visando à capacitação e também a formação educacional para que não haja mais desmatamento. Por fim o terceiro desenvolvimento foi completamente cientifico e com fins para que tudo seja monitorado e controlado.

As empresas internacionais e nacionais apoiam as atividades que são voltadas para redução de desmatamento e também de emissões que acontecer na Reserva do Juma, que hoje pode ser considerado um mecanismo financeiro para gerar créditos de dióxido de carbono.

Atualmente pode-se constatar que o projeto beneficia 476 famílias, cerca de 2 mil pessoas, divididas em 38 comunidades em áreas remotas. Sendo assim todos recebem apoio para produção, principalmente castanha, pesca artesanal e também farinha e açaí. Além de receberem um pagamento por todos os serviços ambientas que são prestados, por meio de um programa que chama Bols Floresta, a fim de diminuir cada vez mais o desmatamento da reserva e de todas as outras matas que ainda estão em extinção.

Além de todos os investimentos que são direcionados para estruturação, existe também todo aquele que é voltado para as pessoas. A fundação crê muito que a conversação da floresta está totalmente ligada a pessoas que podem ser as guardiãs da floresta.

Sendo assim, com grandes oportunidades as pessoas passam a sonhar, com educação de qualidade, capacitação, infraestrutura que seja muito produtiva e transporte, as pessoas conseguem viver melhor sempre. Visando sempre quem vive melhor consegue fazer uma gestão muito melhor de todos esses recursos naturais

A Reserva do Juma, foi criada em 2006 pelo governo do Amazonas e é gerenciada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Ela está situada em uma área de alto risco de desmatamento, no município de Novo Aripuanã, a 227 quilômetros de Manaus.

A expectativa de todo esse projeto é conter até o ano de 2050 a emissão de aproximadamente 190 milhões de CO2, evitando também o desmatamento de 366 mil hectares da floresta.

O que é levantamento florístico

Pode-se dizer que levantamento florístico é nada mais nada menos do que um estudo técnico que tem como seu principal objetivo identificar todas as espécies da flora ocorrente em uma determinada área ou região. Avaliando o atual estado de conservação da vegetação a fim de concretiza-la cada vez mais.

O levantamento florístico costuma ser conhecido por censo florístico ou até mesmo inventário florístico, sendo ele que promove um estado mais detalhado sobre todas as espécies e também determina a quantidade de madeira que existe em uma área. Com todas as medidas exatas e principalmente a densidade de cada planta, sempre de acordo com seu diâmetro e altura.

É uma das fazes mais importantes do Licenciamento Ambiental, porque impacta diretamente nos custos de um empreendimento.

Pode-se dizer que o levantamento florístico é um inventário qualitativo e até mesmo quantitativo de todas as árvores que estão no local, representado em forma de planilha ou até mesmo de relatório.

Nele é importante conter o nome cientifico e popular de cada espécie, além de medições básicas como geolocalização, estado sanitário, altura, diâmetro, etc.

plantaOs tipos de levantamento florístico são:

  • censo ou inventário 100%;
  •  temporário;
  •  contínuo;
  •  exploratório;
  •  de reconhecimento;
  •  detalhado.

É muito importante fazer o levantamento florístico para saber o impacto que terá nos custos de um empreendimento, pois ele influencia diretamente na compensação ambiental e pode interferir diretamente no projeto que será executado em uma determinada região. Existem alguns casos em que os empreendimentos necessitam ser realocados ou até mesmo o número de blocos de um condomínio residencial deve ser diminuído em função da quantidade e principalmente da localização de algumas árvores do local.

Existem árvores que são protegidas por leis e acabam até mesmo sendo patrimônio histórico da cidade e por esse motivo não podem ser cortada, portanto nesse caso o empreendimento precisa se ajustar se quiser ser construído naquele lugar mesmo.

O pequizeiro, ipê-amarelo e muitas outras árvores entram na lista de árvores que são Espécies Ameaçadas de Extinção, sendo assim pode interferir diretamente em todo o projeto original da obra de ocupação de uma área em que estejam plantadas.

Por isso antes de qualquer construção ou até mesmo escolha de local para que seja feito um empreendimento é necessário fazer um levantamento florístico no local para que não haja nenhum engano ou nenhuma multa futura, por alguma lei que será infringida pela construção de empreendimento em locais com muitas árvores.

Esse levantamento pode fazer parte de qualquer Estudo ambiental ou até mesmo ser exigido para que possa contribuir com uma análise de pedidos para retirada da vegetação pelo órgão ambiental responsável da cidade.

É muito importante que seja feito sempre que um terreno tenha muita vegetação e irá acontecer qualquer construção civil que possa impactar com o meio ambiente, sendo assim é importante averiguar antes de fechar qualquer contrato se não irá acontecer impacto à vegetação que está próxima ao empreendimento.

Toda a empresa de construção civil pode contar sempre com a Ética Ambiental, pode ler mais sobre isso aqui, que auxiliará a realizar os estudos, serviços e até mesmo projetos que serão necessários para a construção do empreendimento sem nenhum problema ou até mesmo multa.

É uma empresa que presta consultoria ambiental e também conta com uma equipe sempre preparada para orientar e até mesmo realizar todos os estudos para que sua empresa consiga finalizar os projetos com muita responsabilidade ambiental.

Leia mais artigos aqui

Nos dias atuais as empresas estão cada vez mais preocupadas com o meio ambiente, sustentabilidade e também em salvar toda a vegetação que ainda nos resta. Por esse motivo é muito importante tem a consciência antes de iniciar qualquer projeto.

Curiosidades Sobre o Vaga-lume

Também conhecido como pirilampo, o vaga-lume é um inseto extremamente curioso e chama muito atenção, além de ser interessante aos olhos de quem vê. Faz parte da categoria dos coleópteros, sendo assim é caracterizado pela emissão de luz fosforescente.

vaga-lume

É uma espécie extremamente comum no Brasil, sendo encontrada basicamente na família Lapyries noctiluca, na qual apenas alguns insetos machos fazem parte.

Os vaga-lumes, ou também pirilampos, se alimentam basicamente de vegetais e também possuem órgãos bioluminescentes na região inferior da sua área abdominal e possuem hábitos de vida noturnos.

São insetos que costumam aparecer no inicio da noite, vivendo sempre em área com árvores e plantas, pois são reconhecidos por causa de seu brilho um pouco esverdeado, podendo ser intermitente ou até mesmo contínuo.

No Brasil a espécie está presente em regiões que possuem muita vegetação, porém ele também pode ser encontrado em algumas outras áreas tropicais e temperadas de todo o planeta.

Leia outros conteúdos aqui.

O pirilampo se enquadra na família dos lampirídeos, que engloba todos os insetos que emitem fosforescência. Estima-se que existam mais de 1900 tipos de espécies diferentes de vaga-lumes no mundo, sendo a Lampyris noctiluca a mais comum de todas. Os insetos fêmeas não possuem asas.

Os vaga-lumes usam a emissão de luz, mais conhecida como bioluminescência, para a comunicação biológica. Ou seja, segundo os pesquisadores somente no Brasil é possível encontrar 500 espécies distintas desse inseto.

Os pirilampos tem uma tremenda importância para o equilíbrio do planeta, porém o inseto está desaparecendo aos poucos devido à poluição que o planeta se encontra. Além de todo o desmatamento e as luzes artificiais que foram colocadas nas áreas rurais, estão fazendo com que o inseto acabe entrando cada vez mais em extinção.

As espécies de pirilampo utilizam sua luz para conseguir encontrar e até mesmo atrais um parceiro sexual, por esse motivo a presença de tantas luzes artificias que foram colocadas nas zonas rurais estão atrapalhando o acasalamento. Fazendo com que o processo de reprodução da espécie seja prejudicado, fazendo com que o macho tenha cada vez mais dificuldade em encontrar uma fêmea.

Esses pequenos insetos apresentam um pequeno tamanho que pode variar de 1 até 3 centímetros de comprimento, além de terem uma média de vida de 1 a 3 anos.

pirilamposOs pirilampos, ou mais conhecidos como vaga-lumes, emitem uma luz por conta da presença de luciferina, que é uma substancia oxidada pelo oxigênio. Por meio da enzima luciferase saiba mais, que os insetos produzem e faz com que eles percam energia, resultando assim na emissão da luz. É um processo especialmente controlado e completamente trabalhado pelo sistema nervoso do pequeno inseto. Fazendo com que nossos olhos se encham de luz ao redor de ambientes cheio de vegetação.

A luciferina que é oxidada é produzida em células especiais que ficam dentro do sistema nervoso do vaga-lume, está relacionada tanto à luminosidade dos insetos que brilham diariamente quanto daqueles que brilha em intervalos. Pois o mais legal é saber que cada espécie possui seu padrão, alguns conseguem brilhar o tempo inteiro, enquanto outros brilham apenas em períodos e ficam piscando.

É um inseto que faz com que a fauna fique sempre mais bonita, porém é preciso tomar muito cuidado para que não entre em extinção. Com tanta poluição e também com a tecnologia em grande escala entrando em contato com a vegetação, sua espécie tem desaparecido cada vez mais. É um risco para nossa fauna brasileira, pois esses pequenos bichinhos brilhantes fazem parte de todo o ecossistema em que vivemos.

Seria uma grande tristeza se perdêssemos um ser vivo da nossa fauna por descuido do ser humano!

Curiosidades sobre o Planeta Terra

Pode se dizer que o maior deserto existente no mundo é o Saara, segunda a escola info, pois sua área equivale a 9 065 000 quilômetros quadrados. Tendo seu tamanho equiparado ao de toda Europa.

Todas as florestas conseguem cobrir 300% do solo do Planeta Terra, pode parecer muito, porém hoje elas ocupam uma área 1/3 menor do que ocupavam no inicio da agricultura.

deserto do saara

É considerada a maior floresta tropical a floresta amazônica, porém ela não é a maior do mundo. A maior floresta do mundo é a floresta boreal, que tem a capacidade de cobrir quase todo o norte do planeta Terra.

Pode se dizer que mais ou menos 20% de toda a superfície da Terra é coberta por deserto.

A temperatura máxima que já foi registrada no planeta Terra foi de 58° C em El Azizia, na Líbia. Já a temperatura mínima que já se teve noticia foi de -89°C na estação Vostok, localizada na Antártida.

O deserto mais árido de todo o mundo está localizado no Chile, alguns estudos podem afirmar que uma área do deserto do Atacama passou por 571 anos sem ver uma gota se quer de água.

deserto do Atacama

O oceano Pacifico é o maior oceano do mundo, cobrindo mais da metade da água marinha de todo o Planeta Terra. Com 180 milhões de quilômetros quadrados, cobre praticamente um terço do mundo. Ele possui 707,5 quilômetros de fossas e até 87,8% de sua área apresenta uma grande profundidade superior a 3 mil metros. É o oceano que possui maior profundidade média, que chega a -4.282 metros e onde se localizam as maiores fossas submarinas já registradas.

Leia outros artigos aqui.

Foi descoberto que nem todos os mares são azuis, o mar negro, por exemplo, que fica localizado entre a Europa e a Ásia, parece negro por causa do seu alto teor de Sulfeto de Hidrogênio contido na lama que fica no solo. O Mar vermelho, por exemplo, tem esse nome por conta das algas vermelhas que às vezes florescem em sua superfície.

Os vulcões são capazes de levar uma civilização a um colapso e a um provável fim. Uma das grandes erupções vulcânicas da historia geológica no Planeta Terra ocorreu há cerca de 250 milhões de anos na tua região da russa da Sibéria. Foi considerada uma erupção tão colossal que extinguiu 96% da vida terrestre. É possível afirmar, portanto, que os atua seres vivos são descendentes de todos aqueles que conseguiram sobreviver. Felizmente quanto mais violento, mais raro é o fenômeno.

Hoje o número de países com arsenais nuclear está cada vez maior, entre eles inimigos que são cruelmente ferozes como Irã x Israel e Índia x Paquistão. O uso de bombas atômicas em uma possível guerra entre Israel e Irã, com todo o envolvimento dos EUS, está mais para a realidade do que para ficção. Não podemos esquecer de todo o risco que uma corrida nuclear no Oriente Médio pode causar. Existe cerca de 22 mil ogivas nucleares em todo o mundo, sendo que a maioria delas é da Rússia e dos Estados Unidos, a China também vem se transformando em uma potência nuclear exorbitante. Sendo assim o final dos tempos não pode ser descartado como hipótese de uma guerra atômica.

É arriscado, porém seguro de se dizer que a probabilidade de um vírus como o da gripe aviária ou até mesmo o da gripe suína com uma grande letalidade, é capaz de eliminar a raça humana. Governos como os dos EUA receiam que conhecimento sobre a manipulação do vírus ou da engenharia genética pode ser utilizada por algum grupo terrorista. Pode manipular vírus e fazer com que se espalhem com facilidade.

Animais extintos que podem voltar à vida

Quando um animal entra em extinção e deixa de existir não existem mais chances de sua volta. Sua linhagem será extinta e a única maneira que temos para ter lembranças da espécie é através de fotos ou até mesmo em alguns espécimes que são reconstruídos para colocar em museus.

Porém, com muitos avanços nas técnicas de clonagem e também na biologia molecular, existe grandes chances de conseguir mudar essa história e conseguir trazer de volta alguns animais que entraram em extinção muito anos atrás.

O Projeto Reviver e Restaurar trabalha continuamente em métodos e procedimentos para que um novo campo da ciência tenha êxito, ele se chama desextinção. Com o objetivo de trazer muitos animais que já viveram na Terra e que de alguma forma acabaram sendo extintos.

Porém o primeiro passo para que se tenha sucesso nesse projeto é obter o genoma completo da espécie através de amostras de DNA, tendo em vista que o material genético pode ser conseguido através de exemplares que estão conservados em museus.

Leia Outros Artigos clicando aqui.

As espécies candidatas para essa desextinção foram escolhidas com base em algumas respostas principais:

A espécie é desejada? (Desempenhou papel importante para ecologia? É um ícone? Ajudará a responder importantes questões para a ciência?)

Seria prático trazer essa espécie? (Quanto tempo à espécie extinguiu? Existem parentes próximos vivos? Existe algum tipo de amostra de espécimes ou até mesmo de tecido conversado para extrair o DNA?)

A reintrodução no habitat natural é possível? (O habitat original está intacto ou pode ser restaurado? As causas de extinção são conhecidas e de alguma forma podem ser corrigidas? As habilidades para a sobrevivência no ambiente natural não precisam ser ensinadas pelos pais? Seria viável que essa espécie seja reintroduzida ao meio ambiente?)

Porém esse assunto também tem levantado muitas outras questões, caso a desextinção seja viável, devemos mesmo trazer espécies que já se extinguiram? O que poderá ocorrer com esses animais uma vez que eles estiverem de volta?

Existe motivo para utilizar recursos para projetos de desextinção se podemos investir na conservação de espécies que estão ameaçadas e ainda habitam nosso planeta?

Enquanto essas perguntas são feitas frequentemente, já existem candidatos a desextinção:

Tigre Dentes de Sabre

Há mais ou menos 10 mil anos atrás o tigre dente de sabre, também conhecido como Smilodon, caçava em grande escala no continente americano, porém algumas mudanças climáticas e também a caça predatória que foi realizada por seres humanos levaram a espécie à extinção. Hoje ainda é possível encontrar fósseis muito bem preservados que também foram encontrados em poços de piche. Eles serviriam para fornecer o material genético que é necessário para iniciar o processo de desextinção.

mamute

Entre 3 e 10 mil anos atrás o mamute leia mais, entrou em extinção, suas causas mais prováveis são as mudanças no clima que ficou cada vez mais quente. A caça também está entre uma das principais causas, pode ser que seja possível que a espécie volte a dividir o mundo com os humanos. Em meados de março de 2012 alguns cientistas da Rússia e da Coreia do Sul anunciaram uma parceria para gerar um individuo vivo e até mesmo clonar o animal.

Dodô

Era uma pequena ave que existia nas Ilhas Maurício, que ficam no Oceano Indico, bem longe de predadores. Porém o animal perdeu a habilidade de voar durante sua evolução e explorava todo o seu habitat a pé. Quando os primeiros navegantes chegaram até a ilha por meados do fim do século 16, começaram a caçar as aves inteiramente indefesas, que também eram alvos de animais domésticos como cães e gatos.