Curiosidades Sobre o Vaga-lume

Também conhecido como pirilampo, o vaga-lume é um inseto extremamente curioso e chama muito atenção, além de ser interessante aos olhos de quem vê. Faz parte da categoria dos coleópteros, sendo assim é caracterizado pela emissão de luz fosforescente.

vaga-lume

É uma espécie extremamente comum no Brasil, sendo encontrada basicamente na família Lapyries noctiluca, na qual apenas alguns insetos machos fazem parte.

Os vaga-lumes, ou também pirilampos, se alimentam basicamente de vegetais e também possuem órgãos bioluminescentes na região inferior da sua área abdominal e possuem hábitos de vida noturnos.

São insetos que costumam aparecer no inicio da noite, vivendo sempre em área com árvores e plantas, pois são reconhecidos por causa de seu brilho um pouco esverdeado, podendo ser intermitente ou até mesmo contínuo.

No Brasil a espécie está presente em regiões que possuem muita vegetação, porém ele também pode ser encontrado em algumas outras áreas tropicais e temperadas de todo o planeta.

Leia outros conteúdos aqui.

O pirilampo se enquadra na família dos lampirídeos, que engloba todos os insetos que emitem fosforescência. Estima-se que existam mais de 1900 tipos de espécies diferentes de vaga-lumes no mundo, sendo a Lampyris noctiluca a mais comum de todas. Os insetos fêmeas não possuem asas.

Os vaga-lumes usam a emissão de luz, mais conhecida como bioluminescência, para a comunicação biológica. Ou seja, segundo os pesquisadores somente no Brasil é possível encontrar 500 espécies distintas desse inseto.

Os pirilampos tem uma tremenda importância para o equilíbrio do planeta, porém o inseto está desaparecendo aos poucos devido à poluição que o planeta se encontra. Além de todo o desmatamento e as luzes artificiais que foram colocadas nas áreas rurais, estão fazendo com que o inseto acabe entrando cada vez mais em extinção.

As espécies de pirilampo utilizam sua luz para conseguir encontrar e até mesmo atrais um parceiro sexual, por esse motivo a presença de tantas luzes artificias que foram colocadas nas zonas rurais estão atrapalhando o acasalamento. Fazendo com que o processo de reprodução da espécie seja prejudicado, fazendo com que o macho tenha cada vez mais dificuldade em encontrar uma fêmea.

Esses pequenos insetos apresentam um pequeno tamanho que pode variar de 1 até 3 centímetros de comprimento, além de terem uma média de vida de 1 a 3 anos.

pirilamposOs pirilampos, ou mais conhecidos como vaga-lumes, emitem uma luz por conta da presença de luciferina, que é uma substancia oxidada pelo oxigênio. Por meio da enzima luciferase saiba mais, que os insetos produzem e faz com que eles percam energia, resultando assim na emissão da luz. É um processo especialmente controlado e completamente trabalhado pelo sistema nervoso do pequeno inseto. Fazendo com que nossos olhos se encham de luz ao redor de ambientes cheio de vegetação.

A luciferina que é oxidada é produzida em células especiais que ficam dentro do sistema nervoso do vaga-lume, está relacionada tanto à luminosidade dos insetos que brilham diariamente quanto daqueles que brilha em intervalos. Pois o mais legal é saber que cada espécie possui seu padrão, alguns conseguem brilhar o tempo inteiro, enquanto outros brilham apenas em períodos e ficam piscando.

É um inseto que faz com que a fauna fique sempre mais bonita, porém é preciso tomar muito cuidado para que não entre em extinção. Com tanta poluição e também com a tecnologia em grande escala entrando em contato com a vegetação, sua espécie tem desaparecido cada vez mais. É um risco para nossa fauna brasileira, pois esses pequenos bichinhos brilhantes fazem parte de todo o ecossistema em que vivemos.

Seria uma grande tristeza se perdêssemos um ser vivo da nossa fauna por descuido do ser humano!